#Riscos: investir pelo banco ou por uma corretora

Atualizado: 5 de Jun de 2019

Existe um medo de sair daquela grande e tradicional instituição que é o seu grande banco, onde você tem conta-corrente e já está acostumado com o funcionamento, por vezes já tem até um relacionamento com o gerente. Tirar seu dinheiro dali e enviar para uma corretora, uma instituição menor, menos conhecida, que nem oferece um cartão de débito ou de crédito faz algumas pessoas tremerem.



Mesma estrutura

Talvez você não saiba, mas você só pode fazer aplicações financeiras através de uma corretora, não tem outro jeito. O que os bancos fazem é abrir uma corretora própria, que fique dentro do banco, no entanto existem as corretoras independentes, que não pertencem a nenhum banco, mas estão inseridas no mesmo Sistema Financeiro Nacional que os bancos. Têm como órgão regulador o Conselho Monetário Nacional e são supervisionadas tanto pelo Banco Central quanto pela CVM, portanto seguem normas rígidas.

Além disso, as corretoras podem aderir ou não ao código da Anbima, que é a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, de melhores práticas, o que traz mais um nível de regulamentação e qualidade.

Outra característica importante das corretoras é que, diferentemente da conta em um banco, o dinheiro só pode vir de uma conta em que você seja o titular e só pode sair para uma conta em que você é o titular.


A corretora é uma intermediária

Você não investe seu dinheiro na corretora, você investe através de uma corretora. Portanto o papel dela é fazer o meio de campo entre você, que quer investir, e o investimento em si. Isso significa que o dinheiro não fica na corretora, fica na aplicação, no fundo de investimento, no CDB, no título público e em muitos outros tipos que dificilmente você vai encontrar no banco. Sendo assim, caso ela vá à falência, por exemplo, não tem problema, você vai ter que escolher outra corretora para administrar suas aplicações e passar a fazer suas novas aplicações e resgates.

Bancos já estão com o dinheiro. As corretoras têm que correr atrás

As pessoas recebem seus salários através dos bancos, o que significa que o dinheiro de quase todo mundo já está lá. Segundo último Relatório de Economia Bancária, divulgado anualmente pelo Banco Central, mais de 80% dos recursos dos brasileiros se concentram nos 5 maiores bancos. Sendo assim, esses bancos não precisam oferecer boas rentabilidades nem ter especialistas em investimentos para atrair você, investidor, eles contam com o seu medo e comodidade. Já as corretoras precisam se esforçar para oferecer investimentos com boas rentabilidades, ter especialistas e mostrar mais segurança para atrair o dinheiro dos investidores.


Um exemplo prático: num grande banco, você dificilmente encontrará aplicações que rendam mais que 90% do CDI; já em corretoras, sem dificuldades você encontra fundos conservadores de renda fixa que entregam uma rentabilidade de 110% do CDI.

Se você aplicar R$ 50 mil inicialmente e depois aportar R$ 300 por mês durante 20 anos, na corretora você chegará num resultado 20% melhor, em torno de R$ 60 mil a mais no fim do período.


A Vital utiliza a corretora Warren para cuidar e auxiliar nossos clientes nas suas aplicações. Se quiser saber mais sobre ela, dá uma lida aqui: https://warrenbrasil.com/seguranca/


Se o medo que você tem é perder dinheiro, parece ser mais arriscado investir através de um banco que através de uma corretora de investimentos.


Mauro Amado

Cofundador da Vital


#Vital #GuiaDaSuaAposentadoria #Aposentadoria #OGuiaVital #Previdencia #Aplicacoes #Seguros #Independencia #Financas #Riscos

50 visualizações

Vamos conversar?

Dúvidas?
Fale com a gente

contato@vitalfinancas.com.br

(51) 99802.8681 | (51) 98221.3338

Av. da Azenha, 295 | Porto Alegre/RS

SITE VITAL - imagens.png

Liberdade Financeira

  • Facebook Vital
  • Instagram - Vital
  • LinkedIn - Vital
  • YouTube - Vital

© Vital por Carpes – 2018